QUINTA-FEIRA, 25 DE AGOSTO DE 2016
Untitled Document
25 de AGOSTO de 2016 | Fonte: R7

Reportagem da Record mostra a ação do PCC em MS

[ Reprodução/Record ] O Ministério Público de MS monitorou, por um ano e meio, 20 mil escutas telefônicas envolvendo detentos

Reportagem exclusiva produzida pela Rede Record e exibida no domingo (23), durante o programa Domingo Espetacular, mostra as articulações da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) em Mato Grosso do Sul.

O Ministério Público de MS monitorou, por um ano e meio, 20 mil escutas telefônicas envolvendo detentos que estão no presídio de segurança máxima de Campo Grande e descobriu que os criminosos pretendem agir para que a Copa do Mundo não seja realizada.

Uma conversa entre “Baiano”, que está preso, e “Bruxo”, que estava fora do sistema prisional, chama atenção das autoridades, quando um dos bandidos afirma. “Rapaz, Copa do Mundo vocês não vão assistir não, hein?”. “Vamos demolir tudo”, afirma o outro. A ameaça foi levada a sério, tanto que “Bruxo” acabou capturado pelas autoridades.

Também devido a escutas telefônicas, a Justiça decidiu, recentemente, transferir principal líder do PCC, Marcos Willians Camacho, o “Marcola”, da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau (SP) para uma ala de isolamento em Presidente Bernardes (SP). Investigações apontavam que a facção pretendia resgatar “Marcola” de helicóptero e usar uma pista de pouso em Bataguassu para decolar com um avião de grande porte em direção a uma fazenda no Paraguai.

A reportagem segue mostrando o caos no sistema penitenciário nacional.

Especialistas afirmam que a precariedade nas prisões abre espaço para o fortalecimento das facções criminosas que agem dentro e fora das cadeias brasileiras.


 

Outras escutas telefônicas monitoradas mostram a existência de tribunais do crime, que julgam, condenam a aplicam pena de morte aos que descumprem as ordens dos chefes da facção. 

Um dos documentos exibidos na reportagem da TV Record mostra a condenação de Eder Benites dos Santos, de 43 anos, encontrado morto em Nova Andradina no dia 12 de janeiro de 2013.

O corpo do homem estava em um canavial às margens da rodovia MS-276, na saída para Ivinhema. A vítima, que estava em avançado estado de decomposição, apresentava um ferimento provocado por disparo de arma de fogo na altura do abdome. 

Na ocasião, pessoas que passavam pelas proximidades do Assentamento Santa Olga avistaram o corpo do homem e acionaram a Polícia Militar. 

Éder, conhecido como “Carudo” foi condenado à morte pela facção por “traição à organização e abandono”. Sete jurados identificados como “Zé”, “Holliood”, “Escobar”, “Índio”, “Narigudo”, “Kauan-Paciência” e “Dentinho” decidiram a pena de morte como sendo o castigo mais adequado a ser aplicado. 

Além disso, a reportagem, produzida pelo programa Domingo Espetacular, detalha a ação do crime nos 26 estados do Brasil e mostra a realidade alarmante dos presídios existentes no país.




» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 24/08/2016 Condenado por violência doméstica é executado horas após sair de presídio
Postada em: 24/08/2016 Estudante é preso suspeito de matar a mãe a facadas e ferir 2 vizinhas em SP
Postada em: 24/08/2016 Polícia faz operação para prender traficantes em MS e mais 4 estados
Postada em: 24/08/2016 Idoso desaparecido é encontrado morto em banheiro de motel
COMENTE ESTA NOTÍCIA:
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra